Dicas, Meio Ambiente, Moda

Hábitos mais sustentáveis para você começar agora mesmo

Você tem prometido a si mesmo de que vai ter hábitos mais conscientes, mas até agora não conseguiu se organizar para isso?

Dê só uma olhadinha nessas dicas, que vão te ajudar a se desapegar de hábitos que não terão grandes impactos no seu cotidiano, mas que certamente farão a diferença no meio ambiente!

Dizer não ao canudo e sacolas plásticas

Sabemos que o plástico pode levar várias décadas para se degradar no meio ambiente, não é mesmo? Além disso, como o descarte incorreto é algo muito comum, eles acabam parando nos mares e oceanos, afetando a vida de milhares espécies marinhas, que frequentemente acabam sendo vítimas do plástico, e os canudos e sacolas têm sido os principais vilões. Portanto, se você ainda tem dificuldades de se desapegar totalmente do plástico, comece por esses dois, que tal?

Descarte da maneira correta

Infelizmente no Brasil, pouco nos preocupamos com a forma que o lixo é descartado. Enquanto em países da Europa existe uma gestão mais eficiente em relação a isso, bem como cidadãos mais comprometidos, aqui no Brasil, até mesmo leis de resíduos sólidos parecem não ser o suficiente para descartarmos da forma correta.

Ainda assim, de todo o lixo descartado, apenas 3% é realmente reciclado, isto é, a maioria do descarte acaba sendo destinado a aterros sanitários, mesmo tendo potencial para a reciclagem.

Por isso, é importante que você descarte seu lixo da maneira correta, contribuindo para que esse número cresça cada vez mais, além disso, vale lembrar: tecidos não devem ser descartados em lixo comum, hein? Para ler mais sobre, clique aqui.

Consumir de marcas conscientes

Procure saber de quem você consome, seja a roupa que veste, ou até mesmo a comida que come. Ao falar de sustentabilidade, falamos também sobre a sociedade, assim, consumir de marcas que façam o bem para o meio ambiente e para a sociedade, é um dos primeiros passos a se dar.

Incentivar o produtor local

E já que estamos falando sobre novas formas de consumo, que tal apoiar produtores locais? Além de você possuir mais proximidade e conhecer quem faz o que você consome, você apoia pessoas que estão trabalhando de maneira mais artesanal e oferecem o melhor produto.

Além desses, existem vários outros hábitos que podem também ser adotados, para se empenhar nisso, que tal fazer uma listinha e agregar cada atitude por dia, ou ainda, por semana? Caso ainda tenha dúvida, nós te diremos: sim, você pode fazer a diferença!

Anúncios
Meio Ambiente, Moda

3 Documentários que vão mudar sua visão sobre a moda

Quando falamos de moda, estamos acostumados a falar sobre o lado bonito e encantador, o glamour, desfile, etc. Mas o que está por trás disso tudo? Muitas empresas acabam negligenciando alguns fatores em prol do lucro, e geralmente isso engloba pessoas e meio ambiente.

Ainda assim, esse cenário parece ser algo que acontece em apenas alguns casos pontuais, o que não é verdade. Países como Bangladesh, Índia e China, tem seus rios contaminados por químicos da moda e pessoas que trabalham em condições subumanas.

Por isso, selecionamos 3 documentários que vão mudar sua visão sobre o mundo da moda.

1. The True Cost

download

Esse é o documentário mais conhecido quando falamos sobre esse cenário, a maioria das cenas se passam em Bangladesh, onde se concentra o maior número de trabalho análogo à escravidão, ultrapassando a China. Em “The true cost” é possível sentir como a população é submetida a péssimas condições, não apenas de trabalho, mas também de saúde.

2. River Blue

riverblue-film-3-537x402

O “River Blue” tem seu foco nos rios dos países da Ásia que são afetados pelo tingimento e beneficiamento de peças. O documentário tem seu foco no jeans, que aparece como um dos maiores vilões quando o assunto é a água e a indústria da moda. Já dizem que a próxima guerra mundial será travada pela falta de água potável, e isso é algo que já ocorre na China, por exemplo.

3. China Blue

china_blue_3-800-800-450-450-crop-fill

O “China Blue” põe em destaque a condição subumana da China pós-globalização, onde as pessoas trabalhavam numa sobrecarga subumana para atender as demandas das empresas ocidentais. Acompanhando o cotidiano de Jasmine, o documentário mostra a dura realidade de sua vivência em busca de uma vida melhor.

Curta-metragens que também valem a pena:

1. The Lowsumerism

O vídeo explica de modo fácil como chegamos no consumo desenfreado dos dias de hoje, passando por fatores em nossa história que são essenciais para o entendimento, contextualizando também a nossa situação atual e o porquê de precisarmos desacelerar.

2. Detox Fashion

O Detox é um movimento criado pelo Greenpeace que pede às grandes marcas para se desintoxicarem e pararem de contaminar o meio ambiente com seus tóxicos, provenientes muitas vezes, do tingimento de tecidos e peças de roupa.

Tomar consciência sobre o que de fato ocorre no mundo da moda faz com que o consumidor entenda mais sobre como essa indústria pode ser maravilhosa e ao mesmo tempo, degradante.

 

Uncategorized

Nosso processo é diferente da moda convencional. Você sabe por quê?

Nós temos o maior prazer em dizer a vocês que somos diferente das marcas da indústria convencional de moda, isso porque temos propósitos muito fortes que nos levam a agir e produzir de maneira diferente.

E hoje viemos te contar os principais pontos de porquê a Joaquina é tão diferente.

  • Tecidos dão vida às nossas coleções

IMG_6718.JPG

“Quais tecidos nós temos?”, pode acreditar que essa não é uma pergunta comum de uma marca convencional ao criar, pois seu processo criativo parte da idealização do produto, para que então os tecidos possam ser produzidos e/ou comprados. Mas essa é uma pergunta que nós fazemos, inclusive, em todas as nossas criações. Essa pergunta é essencial em nossa criação, porque utilizamos tecidos excedentes da indústria, isso quer dizer que não produzimos nada, mas utilizamos matéria-prima já existente.

Com isso, os tecidos é que dão forma às peças. Cada cor, estampa e caimento é levada em consideração para que possamos “encaixá-la” num modelo que fique impecável.

  • Desperdício zero

Da mesma forma que resgatamos tecidos para que não precisemos produzir mais, reaproveitamos também os resíduos de nossa própria produção. Assim, não descartamos nenhum pedacinho de tecido, os quais são destinados a produção de outras peças de roupa ou a criação de acessórios, pelas nossas artesãs de núcleo interno ou externo, que compreende produtores de vários locais espalhados pelo Brasil.

  • Costura com amor

IMG_8997

Trabalhamos com uma confecção, nossas costureiras são mulheres em situação de vulnerabilidade social e egressas do sistema prisional, as acolhemos, profissionalizamos, trabalhamos no resgate de autoestima e geramos renda para elas e suas família. Além disso, a costura da peça não é dividida entre as costureiras, mas cada uma produz uma peça inteira. Isso é fantástico por três motivos:

• A costureira terá conhecimento na produção da peça inteira, impedindo que ela faça apenas um único processo e esteja alienada aos demais

• Essa forma de produzir confere mais qualidade às peças

• A costureira se sente dona de suas peças costuradas, e assim, cada uma assina seus nomes em nossas etiquetas

  • Somos Fair Trade

Isso significa que oferecemos preço justo a toda cadeia produtiva, desde os pequenos produtores que trabalham com a gente, até o consumidor final. Assim oferecemos produtos de alta qualidade com preços competitivos do mercado convencional de moda, instigando também o consumo consciente.

Esses são alguns dos pontos que fazem do nosso processo produtivo tão especial e diferente. Esperamos que você se encante e venha com a gente nessa jornada em busca de uma moda mais justa.

Tem alguma dúvida sobre a gente? Deixe aqui nos comentários!

Dicas, Joaquina Brasil, Meio Ambiente

Cuidados com a pele: receitas para fazer em casa

Muitos cosméticos têm em suas composições elementos que fazem mal para nossa pele e pior, para nossa saúde. Além disso, há produtos como esfoliantes, que contêm microplásticos, que possuem o mesmo problema que o glitter convencional utilizado no carnaval, ou seja, eles caem pelo ralo e contaminam as águas, sendo um perigo para os animais marinhos que podem engoli-los.

Assim, trouxemos dicas de cuidados com a sua pele que você mesma pode fazer em casa, e o melhor: sem agredir sua saúde e o meio ambiente!

  1. Borra de café

Que tal esfoliar o rosto com algo que provavelmente iria para o lixo sem antes ter um outro uso? A borra do café é ótima para esfoliar a pele, deixando-a mais lisinha e hidratada. Para isso, basta passar levemente no rosto molhado em movimentos circulares e depois retirar com água.

2. Açúcar cristal + creme hidratante 

Você pode misturar o açúcar cristal a um creme hidratante de sua preferência para fazer uma leve esfoliação, a qual será mais leve do que o café, portanto, mais indicado para quem tem pele mais sensível. Após fazer a misturinha, basta aplicar no rosto como esfoliante comum.

3. Babosa ou Aloe Vera

Conhecida como um ou como outro, possui propriedades cicatrizantes, deixando a pele mais hidratada e uniforme. Para fazer uma máscara, lave a babosa, corte e retire o gel. Passe levemente em todo o rosto e deixe agir por 20 minutos. Essa máscara pode também ficar toda à noite, retirando pela manhã.

4. Argila 

As argilas são ótimas e cada cor possui um benefício diferente, a argila verde por exemplo, é ideal para peles oleosas, podendo ser aplicado também no couro cabeludo. Além disso, existem as argilas preta, branca e rosa.

Além desses cuidados, você também pode optar por utilizar cosméticos que sejam naturais!

E falando nisso… Nós temos novidade para vocês!

Em breve teremos várias novidades em nossa linha de cosméticos, além dos nossos sabonetes que já são os seus queridinhos, você poderá experimentar nossos outros produtos, teremos desde sabonete facial, esfoliante e água thermal, até cheirinho para o seu carro!

E sabe o que é melhor? Tudo produzido de maneira natural, sem agredir sua pele, sua saúde e o meio ambiente.

E você, possui algum cuidado especial? Conta pra gente!

Meio Ambiente, Moda

Afinal, o mundo da moda é tão cruel assim?

Nesses últimos anos, você certamente deve estar ouvindo mais sobre como a indústria da moda pode ser cruel, não é mesmo? Mas afinal, o que realmente acontece?

A indústria da moda, em sua maioria, ainda produz sob um modelo obsoleto, que cria excessivamente para que o consumo e o descarte seja na mesma proporção. As grandes marcas têm o objetivo de oferecer sempre o novo, numa velocidade cada vez maior, e para que o consumidor consiga absorver isso, suas peças têm baixa qualidade, para que rapidamente precisem de outra opção.

Além disso, para produzir nessa quantidade massiva, muitas empresas se submetem a produções formadas por mão de obra análoga à escravidão, oferecendo péssimas condições de trabalho e até mesmo, centavos por peça produzida.

Como se não bastasse, a indústria é uma das que mais polui o meio ambiente, exemplo disso, são países como China e Índia, que têm suas águas amplamente contaminadas por produtos químicos provenientes do tingimento e lavagem de peças de moda. Na China, quase não existe mais água potável.

No Brasil, isso não é nada diferente, aqui se escondem muitas confecções clandestinas, geralmente formadas por imigrantes. Além da produção e descarte excessivo, o que nos leva a 12 toneladas de tecidos descartados diariamente apenas na região do Bom Retiro.

E não para por aí: para se produzir uma única calça jeans, por exemplo, 11 mil litros de água são necessários, quantas peças dessa você possui no seu guarda-roupa, e quantas peças dessas devem vender o ano inteiro? Não é preciso ir longe para saber de que forma estamos esgotando nossos recursos.

Se você ainda tem dúvidas, ou ainda, quer saber mais sobre, deixamos aqui dois vídeos curtos e que explicam muito bem sobre essa situação:

The Rise of Lowsumerism

O vídeo desenvolvido pela Box 1824 tem um modo muito didático de explicar desde a raiz do consumo desenfreado, até a situação atual.

Detox Fashion 

Desenvolvido pelo Greenpeace, o vídeo mostra a dura realidade da moda em relação ao meio ambiente. O movimento já vem ganhando força, pedindo cada vez mais, para que marcas se desintoxiquem.

Meio Ambiente, Moda

Moda Sustentável: como o Brasil está reagindo a isso?

Quando falamos de sustentabilidade, muitas pessoas não sabem nem mesmo qual o seu significado. Isso ocorre porque no Brasil ainda é um assunto pouco discutido se comparado a outros países.

Na Europa, por exemplo, muitos países se comprometem com seus cidadãos a viverem de maneira mais consciente. Na Dinamarca, existem várias iniciativas que englobam também o mundo da moda, contando com várias marcas e empresas que pensam desde a criação e seu processo, até o ciclo de vida e descarte do produto.

No Brasil as coisas estão começando a melhorar nesse cenário. Atualmente, temos várias iniciativas e marcas que estão cada vez mais ganhando seu espaço e reconhecimento pelo que fazem. Ainda assim, estamos falando de um nicho.

Para que as coisas comecem a se desenrolar de uma maneira mais avançada, é necessário um esforço de vários lados, sendo os principais: governo, empresas e consumidores.

O governo, porque é necessário tomar medidas que sejam mais sustentáveis não apenas economicamente, além de conscientizar os cidadãos e aplicar leis mais rígidas para empresas, como a de descarte e mão de obra. As empresas por sua vez, precisam trabalhar também na educação do consumidor ao consumo consciente, oferecer produtos que sejam menos nocivos ao meio ambiente e às pessoas. Já o consumidor, precisa ter mais voz e ser mais seletivo em suas compras, tendo mais consciência do que e de quem está comprando.

Mas aos poucos, isso vem mudando, as três vertentes têm trabalhado mesmo que de maneira mais tímida, para que isso ocorra.

Estamos inclusive, ganhando mais espaço. Semanas dedicadas à moda sustentável têm ganhado força no Brasil, como é o caso do Fashion Revolution e do Brasil Eco Fashion Week. Além disso, feiras como O Jardim Secreto Fair também tem tido cada vez mais expositores e interessados.

Mas o que são essas iniciativas?

A Semana Fashion Revolution acontece mundialmente e é um movimento dedicado à conscientização do consumidor, os instigando a entender mais sobre como a moda pode ser degradante, não apenas para o meio ambiente, mas também às pessoas. O movimento nasceu após o desabamento do Rana Plaza, em Bangladesh, onde deixou milhares de feridos e centenas de mortos. Assim, nessa semana, ocorre o #quemfezminhasroupas, onde os consumidores mostram suas etiquetas e questionam às empresas sobre seu modo de produção, e simultaneamente, são desenroladas várias discussões, palestras, etc.

E a semana Brasil Eco Fashion Week nasceu recentemente, com o intuito de ser uma semana de moda sustentável em São Paulo, reunindo várias marcas conscientes, junto a debates, para divulgar e fortalecer cada vez mais esse mercado.

251117-befw-Grama_050

O Jardim Secreto Fair acontece há alguns anos e têm várias edições! A feira acontece sempre na praça Dom Orione no Bixiga, e traz 200 expositores, entre eles alguns residentes. O evento reúne o produtor local e o consumidor, com música, comidas artesanais, moda sustentável, cosméticos naturais, artesanato e arte! Geralmente ocorrem várias edições no ano.

12916732_1154451161241330_2797327039573744780_o.jpg

Isso significa que cada vez mais, estamos tendo mais abertura para falar sobre o consumo consciente e o mais importante: estamos sendo cada vez mais ouvidos! Ainda assim, existe um caminho muito longo a percorrer e sabemos que existem muitas pessoas dispostas a fazer parte disso, assim como a gente.

Dicas, Joaquina Brasil, Meio Ambiente, Moda

5 Livros de moda para quem quer saber mais sobre sustentabilidade

Para quem quer conhecer mais sobre a moda consciente e mais sustentável, nada melhor do que fazer boas leituras, por isso, trouxemos uma seleção de livros que vão facilitar sua jornada de descoberta desse mundo.

1. O império do efêmero

O livro já virou um clássico da moda, ainda mais quando o assunto é efemeridade do setor e do consumo. É ótimo para quem gostaria de se contextualizar primeiro e entender como a moda é efêmera.

2. Moda ética para um futuro sustentável

Outro clássico, mas dessa vez mais voltado para a visão da moda sustentável, Elena Salcedo discursa em seu livro sobre várias possíveis alternativas para um mundo mais sustentável, falando mais sobre economia circular, produtos biodegradáveis, upcycling e materiais que sejam menos nocivos ao meio ambiente.

3. Moda com propósito

Os livros de André Carvalhal facilmente fizeram sucesso devido a sua experiência em mercado de moda e sua fácil linguagem. Com muita didática, explicita alguns dados muito importantes sobre o atual cenário da moda, sempre enfatizando essa rodada do jogo, que está voltada para a “nova era”, do despertar do mundo para seus propósitos.

4. Cradle to cradle

Apesar de escrito em 2007, o livro continua sendo muito atual e cheio de “novidades“, os autores do livro falam sobre o modelo de economia circular, “do berço ao berço“, apresentam vários exemplos que foram colocados em prática em suas consultorias e contextualizam o cenário atual sobre a sustentabilidade no mundo.

5. Sociologia da moda

Apesar de não ser um livro sobre sustentabilidade, Godart explica muito bem sobre como a moda funciona, dessa forma, o leitor pode entender melhor como a sociedade se comporta diante de status, individualidade e diferenciação.

Ao falar sobre moda, estamos lidando com um assunto muito amplo e para entender melhor como a moda sustentável vem crescendo e de que modo ela continuará a crescer, é preciso entender que isso envolve vários fatores, sendo os principais: o ambiental, cultural, econômico e social.

Por isso, acreditamos que essas leituras serão de grande ajuda para te nortear e te contextualizar sobre tudo isso!

Quer complementar a nossa seleção ou já leu algum e quer comentar sobre? Que tal deixar aqui embaixo nos comentários?